Perdão: um remédio para a alma


“Se pecar contra você sete vezes no dia, e sete vezes voltar a você e disser: ‘estou arrependido’, perdoe-lhe”. Lucas 17.4
Tive o privilégio de conhecer um senhor irlandês, James Stewart,  beirava seus 70 anos de idade e sua felicidade era contagiante. No ano de 1969 James estava em um bar tomando café e o grupo terrorista IRA colocou uma bomba naquele estabelecimento, com a explosão ele perdeu as duas pernas.  Em uma conversa com seu filho Paul, ouvi: “Eu nunca, em toda minha vida, vi meu pai reclamar ou ter qualquer ressentimento contra os terroristas, ele realmente os perdoou”.
O perdão é uma necessidade imperativa para aqueles que desejam viver de forma saudável. Quem não perdoa é escravo dos seus próprios sentimentos, não é livre nem tem paz.
O perdão é libertador, cura a alma, ele é o remédio para caminharmos pela vida sem amargura, sem ele a vida se torna um fardo e a alma fica prisioneira do ódio e da vingança.
A Bíblia conta uma parábola em Mateus (18.21-35) sobre um homem que fora perdoado de uma dívida impagável de dez mil talentos (cento e cinqüenta mil anos de trabalho) e que, quando encontra um conservo que lhe devia cem denários (Três meses de trabalho), um valor insignificante, não o perdoa.
Aquele que foi perdoado de uma divida impagável, não consegue perdoar um valor que seria de três meses de trabalho. Aquele que foi alvo de imensa compaixão de seu senhor, não consegue ser compassivo com o seu conservo.
A lição que Jesus nos ensina nesta parábola é que recebemos de Deus um perdão infinitamente maior do que aquele que devemos conceder a quem nos deve ou ofende.
Por isso, a nossa falta de perdão mostra ingratidão para com Deus, mas não só isto, ela também, fecha as portas da misericórdia, o Senhor Jesus disse: “se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, tampouco vosso Pai vos perdoará as vossas ofensas” (Mt 6.15).  Quem não perdoa não pode adorar a Deus “pois, ao trazeres ao altar a tua oferta, ali te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa perante o altar a tua oferta, vai primeiro reconciliar-te com teu irmão; e, então, voltando, faze a tua oferta” (Mt 5.23-25) e quem não perdoa não consegue orar com efeito (Mc 11.25) “E, quando estiverdes orando, se tendes alguma coisa contra alguém, perdoai, para que vosso Pai celestial vos perdoe as vossas ofensas”.
O perdão não é uma opção para o cristão, mas uma ordem de Deus. Em Cristo todas as barreiras podem ser derrubadas e na cruz temos o exemplo maior de perdão.
Será que existe alguém a quem eu deva pedir perdão? E a quem eu deva perdoar? Mesmo que ela não me peça? Que tal ir até esta pessoa?

Rev. Davi Helon